Empresa americana especializada na certificação de mentores começa a operar no Brasil

A empresa Global Mentoring Group com sede em Cambridge Massachusetts nos Estados Unidos iniciou suas operações no Brasil em junho com um lançamento em grande estilo dentro do prédio do MIT.

Para o Chairman da empresa Claudio Brito a estratégia faz parte da expansão global do grupo e leva em consideração os vários eventos envolvendo a comunidade de Startups que estão ficando cada vez mais maduros no Brasil.

O grupo Global colocou à disposição do público brasileiro a Certificação online em Startups & Inovação para mentores e vai começar a realizar treinamentos presenciais em diversos estados brasileiros contando com o apoio de seus diversos parceiros e representantes regionais.

No topo da cadeia de formação de mentores está a Certificação Internacional que ocorre 3 dias no Vale do Silício na California e 2 dias em Cambridge Massachusetts e já iniciou suas inscrições.

Para nós é de suma importância ver o mercado evoluir com ferramentas apropriadas e preparar os mentores para entender de gente, sabemos que existem ferramentas capazes de alavancar resultados, mas sem um time preparado na operação do negócio é impossível fazer uma empresa dar certo, finaliza Claudio Brito.

Para quem quiser saber mais sobre o Global Mentoring Group basta acessar o endereço http://globalmentoringgroup.com

Anúncios

Captação de Recursos

Para muitos empreendedores, o momento da Captação de recursos para fazer o negócio avançar é definitivo. Isso porque buscar investidores ou tomar empréstimos requer tempo, preparo e planejamento. Ao longo da minha carreira, várias vezes ouvi de empreendedores boas razões pelas quais precisavam de recursos.

Aqui vou compartilhar segredos que foram determinantes para:

    • captar mais de R$ 700.000,00
    • conseguir recursos a fundo perdido (sem a necessidade de devolver) para a nossa empresa.

Infelizmente, a maioria dos empreendedores só recorre a um agente financeiro quando esgotada suas possibilidades. Em situações como essas, é provável que consiga recursos a juros altíssimos apenas. Parece crueldade, não é? Mas você arriscaria seu dinheiro em uma empresa nessas condições?

Planejar-se para a captação de recursos, antecipando riscos, é essencial para a saúde do seu negócio. É mais fácil conseguir uma boa linha de crédito quando você tem saldo positivo no banco. O empreendedor, frequentemente, costuma deixar de lado esse detalhe.

Captar recursos exige organização

Na hora de captar recursos, organização é algo fundamental. Existem muitas fontes disponíveis e todas são exigentes na hora de selecionar as empresas que irão receber doações.

Por isso, a nossa dica é buscar um edital (próximo da linha de subvenção que você quer utilizar) e ver todas as exigências feitas para a sua empresa se tornar elegível.

Muitas vezes as instituições que elaboram os editais pedem diversas certidões dadas por entidades como Receita, Caixa, Cartórios – algumas pedem até  CNAEs, que comprovem a aptidão da sua empresa para realizar o que o edital exige.

Está gostando da leitura? Então cadastre o seu melhor e-mail aqui e veja quais entidades tem editais direcionados ao seu negócio…

Redigir projetos de subvenção é uma arte

Você sabia que muitos projetos acabam não conseguindo recurso por conta de uma redação mal feita? É isso mesmo! As vezes o empreendedor até apresenta bem a ideia ao falar, mas tem dificuldades na hora de escrever sobre o seu projeto.

Dessa forma, a nossa dica é você pedir ajuda de um conhecido que seja bom com as palavras ou até de um professor de redação que possa corrigir o seu texto, principalmente, respondendo a seguinte questão: outra pessoa, ao ler o seu projeto, terá o mesmo entendimento que você ao ler o texto do projeto?

Enquanto a resposta for não, será possível melhorar o seu texto. Mas evite o perfeccionismo. Todos os editais tem prazo para submissão de cada projeto e enviar fora do prazo não é uma possibilidade.

Delegue tudo menos a gestão do seu projeto de subvenção

Você sabia que mesmo projetos que já passaram pela fase classificatória (leitura e apresentação de documentação) podem ser reprovados nas fases seguintes de classificação?

Isso porque algumas instituições pedem alguns passos intermediários que são relegados pelo empreendedor ou delegados a terceiros sem o mesmo comprometimento. O resultado é a eliminação do projeto.

Conheço um empreendedor que havia sido selecionado para captar R$ 120.000,00. Antes de receber o dinheiro, instituição de fomento exigiu a participação num treinamento online, com término em data específica. Ele não só deixou de concluir essa etapa como ficou sem a verba, mesmo após ter percorrido o caminho mais difícil.

Por isso a nossa dica é: terceirize todas as tarefas com a sua equipe, mas nunca a gestão do projeto de subvenção.

Prestação de contas é coisa séria!

A prestação de contas é outro momento importante que deve ficar sob a sua constante vigilância. O motivo, muito simples: qualquer detalhe errado na prestação e você será obrigado a devolver o recurso alcançado com juros e multa.

Por isso, fique atento às datas limites para prestação de contas. Aproxime da instituição a qual a verba de subvenção está ligada. Normalmente, eles têm um setor responsável por essa prestação; um profissional qualificado deverá atendê-lo/la e tirar todas as dúvidas.

Felizmente, nós nunca tivemos qualquer problema com as nossas prestações de conta e descobrimos com o passar do tempo como manter o projeto livre de qualquer suspeita.

A nossa principal dica nesse sentido é: ande na linha, cumprindo sempre o que prometeu no projeto inicial; toda vez que algo mudar ou parecer diferente do combinado, submeta a entidade responsável.

Captar recurso exige persistência

Não desista nem após o primeiro triunfo e nem após o primeiro revés! Captar recurso deve ser algo constante dentro da sua empresa. Se possível, dedique um setor, um profissional, ou seja você mesmo seja o responsável por isso no seu negócio.

Esteja ligado as novidades e oportunidades para captar recursos para o seu negócio. Muitas vezes os recursos não chegam até você por falta de divulgação.

Saiba que mesmo nas ocasiões onde você não consegue captar recursos, serviu como aprendizado. Submeter projetos em editais é uma questão de estratégia e adequação as exigências.

Descubra os editais mais recentes nas redes sociais

Todas as entidades promovem eventos e utilizam as redes sociais para se relacionar com o mercado. Coloque essas oportunidades em seu radar e monitore constantemente as linhas de subvenção e financiamentos disponíveis.

Esteja atento às redes sociais de entidades ligadas ao empreendedorismo, tais como: aceleradoras, incubadoras, conselhos de jovens empresários, associações comerciais, universidades, Finep, BNDES. Estas costumam ser excelentes fontes de informações sobre os editais mais recentes.

Captação de recursos para projetos sociais

Uma das maiores dificuldades de uma organização social é manter-se com sustentabilidade. Depender de recursos de editais ou da prefeitura pode ser um tiro no pé até mesmo para quem “se garante”. Afinal, toda organização tem um custo fixo que, na maioria das vezes, não são aceitos como parte do orçamento dos editais.

É preciso que a própria organização seja criativa e trabalhe muito para que possa oferecer serviços e produtos que sejam capazes de sustentar os custos fixos da organização, como recursos humanos e estrutura.

Você pode até argumentar que não vale a pena investir esforço em algo que não vai te gerar lucro; ou que você só se interessa por projetos grandes e complexos, que durem pelo menos 6 meses, pois são esses que valem a pena.

Aí eu digo que você está perdendo dinheiro por ter um ego demasiado grande. E eu tenho certeza que se fizer ações como as sugeridas, de quebra, ainda pode se divertir muito!

O blog Nossa Causa preparou um artigo com 15 ideias criativas para você captar recursos!

Captador de recursos: o que faz?

Captador ou captadora de recursos, junto com a direção da organização não-governamental (ONG), é quem irá liderar o processo de planejamento de mobilização de recursos e a sua implementação.

É a pessoa que possui uma visão generalista da organização, conhecendo sua causa e seus projetos, o que propor para alavancar as receitas e garantir a sustentabilidade da estrutura e das atividades da ONG.

Ao mesmo tempo, é o captador que precisará ter também uma visão de especialista, sabendo trabalhar, a depender do seu papel na organização, com doações de indivíduos, de famílias, de heranças, das empresas, dos governos, por meio de editais, etc.

Por isso, capacitação é fundamental para esse profissional e uma obrigação no investimento de todas organizações. Não existe “faculdade de captação de recursos”. Todas as oportunidades de qualificação técnica oferecidas a esses profissionais devem ser aproveitadas.

Associação brasileira de captadores de recursos

A ABCR – Associação Brasileira de Captadores de Recursos é uma organização sem fins lucrativos composta por captadores e mobilizadores de recursos. O objetivo principal é estabelecer uma ampla rede nacional, fortalecendo os laços entre os profissionais que atuam na área e propiciando condições para o intercâmbio técnico, a troca de experiências e o desenvolvimento comum da profissão.

Quer conhecer ainda mais sobre captação de recursos? Assista esse vídeo feito especialmente a você:

Vale do Silício

O Vale é um destino de peregrinação para milhares de empreendedores no mundo. A região possui uma aura mística que fascina qualquer um. A região é tão importante que muitos “vales” já nasceram pelo mundo tentando copiar o ecossistema que existe na Califórnia.

O que é o Vale do Silício?

O Vale do Silício (em inglês: Silicon Valley), na Califórnia, Estados Unidos, é uma região na qual está situado um conjunto de empresas inovadoras, abrangendo várias cidades do estado da Califórnia, no sul da baía de São Francisco, como Palo Alto e Santa Clara, estendendo-se até os subúrbios de São José.

Google e o Googleplex

Embora este seja um grande desejo da maioria das pessoas. A sede do Google não oferece tours públicos para visitação da empresa, pois, embora o ambiente seja colorido e divertido, os funcionários ficam concentrados durante o horário de trabalho. Por isso, não seria justo atrapalhar o desenvolvimento de tanta coisa bacana com centenas de pessoas invadindo os escritórios, não é mesmo? Mas o Google sabe que as pessoas têm curiosidade e querem se aproximar da empresa e, por isso, disponibilizou uma loja onde é possível comprar várias lembranças com o logo da empresa e seus produtos (porém o acesso a ela só é feita através de um convite impresso pelo funcionário responsável pela sua estadia – com sorte talvez você consiga algum jogado no lixo do lado de fora da loja ou alguém disposto a compartilhar esse pequeno pedaço de papel). Talvez a empresa também lance alguma novidade com a sua nova sede que você pode ver mais detalhes clicando aqui.

Apple Store

Já a Apple possui uma loja em sua sede onde a entrada é aberta e é possível encontrar lembranças como camisas, copos, roupas para bebês com a marca da empresa e alguns acessórios para o seu gadget preferido, porém essa loja não oferece os principais produtos como iPhones, iPads, iPods e Macs pois trata-se de uma loja “turística”. O endereço está no mapa acima e deve mudar assim que a empresa lançar a sua nova sede em forma de círculo futurístico que você pode conhecer no vídeo abaixo e saber mais clicando aqui.

Facebook

Outro não muito receptivo aos turistas é o Facebook que está hoje instalado em um prédio sisudo e sem muito link com o espírito da empresa, mas a empresa cresceu tanto que será obrigada a se mudar e já está preparando um belo tapa no visual, veja no vídeo abaixo ou confira mais detalhes aqui.

Como o vale adicionou o Silício ao nome?

O termo “Vale do Silício” foi utilizado pela primeira vez pelo jornalista Don Hoefler, em 1971, em uma série de artigos denominado “Silicon Valley U.S.A” escrito para o Electronic News.

Esse termo referia-se à uma certa região localizada na baía de São Francisco, que naquela época já era o lar de nomes promissores na indústria como a AMD e a INTEL, que utilizam o silício como principal elemento na composição dos chips fabricados.

Turismo

Muitos empreendedores, curiosos e entusiastas saem do Brasil todos os anos para visitar essa região dos Estados Unidos. Se você tem alguma dúvida de que vale conhecer essa área da Califórnia, veja aqui alguns motivos que selecionamos para você:

#1 As Universidades
Entre as entidades que mais influenciam um ecossistema empreendedor, junto com o poder público, estão as universidades. E no Vale do Silício a história não é diferente. São diversas universidades, faculdades, centros de estudo e pesquisa que revelam anualmente projetos que podem se tornar startups bilionárias em poucos anos. Entre as principais está Stanford, berço de startups como Instagram, Facebook e Snapchat.

#2 Ideias não valem nada
O que vale mesmo é a execução, que vem para premiar os mais resilientes e corajosos a ponto de tirarem as ideias da cabeça e do papel para colocaram em prática. Todos nós temos ideias o tempo todo. No papel e na imaginação tudo é possível, mas é só colocando em prática no mercado que você poderá efetivamente testar a viabilidade do negócio.

#3 Mente aberta
A cabeça aberta das pessoas é um ponto chave para o sucesso do ecossistema do Vale do Silício. Empreendedores altamente disruptivos como Elon Musk poderiam ser ignorados em ambientes menos propensos a inovação. Conhecer um ambiente carregado desta mentalidade com certeza muda a forma de pensar: evitar o julgamento é pré-requisito para quem se estabelece na região.

Fonte: Acelera Startups no Vale do Silício